Linha do tempo

Você está aqui

2006

Comemoração dos 60 anos da FEA

A FEA completa 60 anos. A comemoração foi marcada por uma grande festa que reuniu alunos, funcionários e professores de todos os tempos de sua existência. Como presente de aniversário, a artista plástica Tomie Ohtake doa uma escultura à Faculdade.

2003

É criada a Comunicação e Desenvolvimento

A área de Comunicação e Desenvolvimento surge para facilitar a comunicação interna e externa da faculdade. Ela é responsável pelas publicações Gente da FEA, Semana da FEA e pelo conteúdo institucional do Portal da FEA.

2002

Cria-se o curso de Relações Internacionais

É implementado o curso de Relações Internacionais, ministrado conjuntamente pela FEA, Faculdade de Direito e Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

2002

FEA Ribeirão Preto ganha autonomia

A unidade da FEA em Ribeirão Preto ganha autonomia.

2002

Cria-se o cursinho popular da FEA

O cursinho preparatório para vestibular da FEA é criado. De caráter popular, ele visa promover uma maior integração social e iguais oportunidades a estudantes menos favorecidos socialmente.

1999

Criado o programa "Parceiros FEAUSP"

É criado o Programa “Parceiros da FEAUSP”, com o objetivo de buscar junto à iniciativa pública e privada um apoio financeiro para manter e aprimorar sua infra-estrutura físico-acadêmica e tecnológica.

1997

Surge o CIEP

Uma sala na biblioteca é designada para a transmissão de aulas e palestras em nível nacional e internacional, através de um sistema de vídeo conferência, criando-se assim o CIEP (Centro Interativo de Ensino e Pesquisa). Foi o primeiro sistema implantado em uma instituição de ensino no Estado de São Paulo.

1996

Ampliação da Infra-estrutura da FEA

É feita a reforma e ampliação da infra-estrutura da FEA. A faculdade passa a ter quatro prédios, ao invés de apenas um. No ano seguinte, o prédio FEA-5, antes pertencente à Secretaria do Estado da Fazenda, é agregado também. 

1995

Regulamentação dos estágios

É feita a regulamentação dos estágios, visando promover uma maior integração entre aluno e mercado de trabalho.

1992

Comissão de Cooperação Internacional da FEA

A portaria n°43/92 do Diretor Eduardo Vasconcellos, passou a denominar a Comissão Especial de Comissão de Cooperação Internacional da FEA-CCInt/FEA. Seus objetivos eram assessorar a Diretoria nas questões que dizem respeito à cooperação internacional; formular a política de cooperação internacional da FEA e promover a dinamização e a expansão da atuação internacional da FEA.

1992

FEA Ribeirão

Uma extensão da FEA é instalada na cidade de Ribeirão Preto, com os três departamentos.

1990

Criação da Empresa FEA Júnior

A Empresa Júnior da FEA é fundada e começa a funcionar no ano seguinte. A Empresa FEA Júnior USP é uma das primeiras juniores do Brasil e tem por objetivo complementar a formação dos alunos.
1990

Incorporação de Contabilidade ao nome da FEA

Após a Reforma Universitária de 1988, o novo estatuto da FEA incorporou o Departamento de Contabilidade ao nome, embora mantenha o acrônimo FEA. Assim, a FEA se torna a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade.

1988

Convênio com a Universidade de Porto

O primeiro convênio com uma instituição de ensino internacional é firmado com a tradicional Universidade do Porto. O acordo continua vigente hoje.

1987

Primeiros professores eméritos nomeados

Os primeiros professores eméritos são nomeados: Delfim Neto, Alice Canabrava, Lenita Camargo e Atílio Amatuzzi (post mortem).

1986

É estabelecida a CCint-FEA

É estabelecida a CCint-FEA, Comissão de Cooperação Internacional, com o objetivo de tornar as trocas culturais de alunos de graduação mais dinâmica e organizando o lado cultural de estudos e estágios dos três departamentos em Universidades no exterior, enquanto recebendo um número equivalente de estudantes estrangeiros no período.

1985

Surge o Clubinho

Surge o Clubinho, clube de funcionários da FEA, com o objetivo de unir professores, administradores e os funcionários das fundações (FIA, FIPE e FIPECAFI).

1984

Nova sede da biblioteca

A nova sede da biblioteca da FEA é inaugurada. O novo local proporcionaria mais espaço e infra-estrutura aos alunos, professores e demais usuários do grande acervo bibliográfico da faculdade.

1981

Associação de Antigos Alunos promove curso

A Associação de Antigos Alunos realizou , sobre a coordenação do Prof. Fauze N. Mattar, um curso de 81 horas sobre Administração Contábil e Financeira, que reuniu mais de trinta participantes.
1981

Transformações curriculares

Verificaram-se novas e profundas transformações curriculares. O conjunto das disciplinas obrigatórias,  com respeito ao qual não se observara nenhuma mudança desde sua implementação (1976), sofreu acréscimos e cortes. De outra parte, o grupo das eletivas viu-se ampliado com a absorção de cursos anteriormente obrigatórios e com a introdução de seis novas disciplinas.  Este novo direcionamento acentuou o caráter social no ensino de Ciências Econômicas e reduziu o conteúdo instrumental até então vigente.

1981

Lançado o livro ?História da FEA"

No ano de comemoração dos 35 anos da FEA, é lançado o livro “História da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo”. Nesta data, constata-se que quase 4.000 alunos se graduaram na faculdade.

1980

Jornal Ex-Aluno é reativado

O jornal Ex-Aluno é reativado. Na publicação número 1, são divulgadas entrevistas com o diretor da FEA. Prof. Sérgio de Iudícubus, notícias sobre a Escola e a posIção financeira da Associação quando da posse da nova diretoria.

1980

É criada a FIA

A FIA (Fundação Instituto de Administração) é criada. A instituição surge para dar apoio ao IA-FEA-USP.

1980

FEA inaugura sala de computadores

A Reitoria da USP compra os primeiros computadores pessoais para suas unidades. A FEA se torna a primeira unidade da USP a inaugurar uma sala de computadores para seus alunos.

1979

Inicia o projeto do livro História da FEA

A Comissão de Honra, indicada pela Egrégia Congregação da FEA, se reuni para começar o projeto de escrever a história da FEA, que iria desembocar no livro “História da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo”. A comissão era composta pelos Professores Doutores Laerte de Almeida Moraes, Antonio Peres Rodrigues Filho, Alice Piffer Canabrava, Ruy Aguiar da Silva Leme, Luiz de Freitas Bueno, Milton Improta e Dorival Teixeira Vieira.
1979

O IA transforma-se em Centro Complementar

Através da portaria 44, o IA transformou-se formalmente em Centro Complementar do Departamento de Administração, subordinando-se diretamente à Chefia. Na prática a vinculação redundou em maior rapidez nas decisões, ao mesmo tempo que aumentava a simbiose já existente entre o Departamento de Adminsitração e o IA/FUNAD na medida em que o Conselho do primeiro passou a influir na escolha dos membros do Conselho de Adminsitração do Fundo de Pesquisa.
1978

Fusão da Biblioteca da FEA e do IPEA

O Prof. Affonso Celso Pastore, logo após sua posse como Diretor determinou que fossem efetuados estudos para a fusão das Bibliotecas da FEA e do Instituto de Pesquisas Econômicas. A fusão de ambas as bibliotecas muito contribuiu para a melhoria de qualidade de seu acervo na área de Economia e dos serviços prestados pela Seção.
1978

Nova estrutura administrativa para a UPD

A Unidade de Processamento de Dados, ao expandir suas atividades conforma mencionado anteriormente, e comportando o relacionamento com os outros três departamentos da FEA, em 78 a estrutura inicial já não correspondia a este múltiplo envolvimento. Levando em conta estes fatos, o Diretor da Faculdade, Prof. José Francisco de Camargo, baixou a Portaria n°30, publicada no D.O., na qual cria nova estrutura administrativa para a UPD.
1977

Aprovação da Instrução de Serviço

Sob a chefia do Prof. Ruy Aguiar da Silva Leme, iniciada em 77, o Conselho do Departamento de Administração aprovou a Instrução de Serviço n°03, documento este de grande significância do ponto de vista da gestão do Departamento, pois a partir de então foi possível proporcionar uma estrutura administrativa para o departamento que pudesse compatibilizar-se com o estatuto da Universidade de São Paulo, ao mesmo tempo que lhe conferia maior dinamismo e flexibilidade imprescindível ao seu funcionamento eficiente.
1973

Portaria do Professor Laerte de Almeida

O professor Laerte de Almeida Moraes, Diretor da Faculdade, baixou Portaria determinando que fossem obrigatoriamente remetidos à Biblioteca dois exemplares de todas as publicações editadas pela Faculdade, inclusive teses.
1972

Regulamentação da FUNAD

Ao publicar-se a portaria n° GR 1.730 do Reitor da Universidade de São Paulo, no Diário Oficial do Estado de São Paulo, iniciou-se um processo de transformação da FEAUSP. Este ato que regulamentava o Fundo de Pesquisa do Instituto de Administração (FUNAD) iria agilizar as atividades de pesquisa e prestação de serviços à comunidade com seus reflexos favoráveis sobre o ensino de pós-graduação e graduação em Administração da FEA.
1971

Cursos de Pós em Economia se fundem

Os dois cursos de pós-graduação que coexistiam no Departamento de Economia fundem-se em um só.
1970

Estabelecimentos de mestrado e doutorado

O decreto governamental n.1164 estabelece, nos três departamentos da FEA, programas de mestrado e doutorado. A comissão de graduação da FEA é criada, com membros dos três departamentos e representação estudantil.
1970

FEA é transferida para Cidade Universitária

A FEA deixa a Vila Buarque e se muda para o Campus Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira, na Avenida Professor Luciano Gualberto, n° 908.

1969

FCEA passa a se chamar FEA

Uma reforma estrutural na USP definiu que a FCEA passaria a se chamar Faculdade de Economia e Administração (FEA), cuja organização ficaria dividida em três departamentos distintos: Administração, Economia, e Contabilidade e Atuáriais. Assim, por exemplo, o curso básico e o vestibular único desapareceram e as disciplinas introdutórias comuns, estabelecidas pelo currículo mínimo federal, são ministradas separadamente para as turmas de Economia, Administração e Contabilidades, com enfoques que procuram atender às peculiaridades de cada um dos três departamentos da FEA.

1969

Primeira mulher em doutorado de Economia

Lenita Corrêa Camargo é a primeira mulher a realizar um doutorado em Economia, ainda no regime de tese orientada por um professor catedrático. Um pouco mais tarde, porém ainda no regime anterior à Reforma da USP/1969, Maria José Villaça defende tese de doutoramento e, em seguida, presta concurso de livre-docência em Economia.

1969

Prisão do aluno Paulo Beskow

A repressão política passou a perseguir inúmeros alunos da FEA, intimando-os a comparecer a interrogatórios policial-militares. Esta perseguição culminou com a prisão de Paulo Beskow no exército de suas funções de Presidente do CAVC, que foi torturado e condenado com base na Lei de Segurança Nacional, pela Segunda Auditoria Militar de São Paulo. Condenado à pena de 27 meses de detenção, esta mais tarde foi reduzida a 12 meses por se tratar de um réu primário.

1968

Batida de militares no pátio

No ano de decreto do AI-5, houve uma “batida” de militares armados no pátio comum entre a FFLC e a FCEA. Os policiais barraram as entradas da Maria Antônia e da Vila Nova e encheram dois ônibus de “suspeitos comunistas”.

“Conta-se que cães amestrados localizaram professores da FFCL que se esgueiraram pelo pátio interno e se esconderam em baixo de mesas e dentro de armário-vestiário da FCEA. Conta-se também que a FCEA conseguiu trancar a porta que dava para a Rua Dr. Vila Nova, mas os militares romperam a fechadura à bala e encontraram um grupo de temerosos funcionários tendo à frente um pálido secretário que acenava um lenço branco dizendo ‘somos funcionários’”...  (A FEA-USP No Tempo pg.22)

1968

FFLC muda-se para a Cidade Universitária

Com a Reforma Universitária de 1968, a FFCL foi desmembrada em múltiplas unidades na Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira.  Assim, desaparece a convivência entre alunos da FEA e FFCL.

1967

Alteração do sistema de vestibular

A fase inicial da UPD coincidiu com a alteração do sistema de vestibular para ingresso na FEA, o qual, a partir de 1967, passou a ser feito através do sistema de apuração com o auxílio do computador.

1966

Primeiro computador

No ano de 66 já existia ambiente para a colocação de um computador na Faculdade, restando o problema de se conseguir a verba para sua aquisição. Neste ano, o Presidente do IPE, Prof. José Francisco de Camargo, através do convênio que o IPE mantinha com a Fundação Ford, conseguiu parte da verba. O restante veio através de dotação orçamentária da própria Faculdade. O equipamento escolhido foi um IBM modelo 1130.

1966

Criação do CPCA

O Departamento de Contabilidade e Ciências Atuárias, junto com a FIPECAFI, cria o CPCA, Centro de Pesquisas em Ciências Atuárias, com o objetivo de criar um centro de referência na área de avaliação, medição, administração e cobertura de riscos.

1965

Regulamentação da Profissão de Administrador

A profissão de Administrador é regulamentada através da Lei 4.769, graças aos esforços da Associação Brasileira de Técnicos de Administração (ABTA), do antigo Departamento de Administração de Serviços Públicos e da própria Fundação Getúlio Vargas. Sendo a Universidade de São Paulo um estabelecimento de ensino público oficial, preferiu-se não se implantar na FCEA cursos que graduassem bacharéis para o exercício de uma profissão, ainda não regulamentada por Lei.
1965

A Biblioteca do IA é incorporada a da FEA

A preocupação com a existência de duas bibliotecas na mesma Faculdade já vinha de longos anos, mas só nesta data foi publicada a Portaria n°1, de 04/01/65, do Prof. Dirceu Lino de Mattos, Diretor da Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas, que determinou a transferência da Biblioteca do Instituto de Administração para a Faculdade. A Biblioteca do I.A., organizada em moldes mais modernos e possuindo maior acervo, na prática foi a que absorveu a Biblioteca da Faculdade, tendo apenas mudado sua denominação. Por falta de espaço as antigas Cadeiras continuaram mantendo ainda em seus recintos os respectivos materiais bibliográficos. O acervo só pôde ser reunido com a mudança para o novo prédio da Faculdade de Economia e Administração, na Cidade Universitária.
1964

Reforma Estrutural da FCEA

A Ordem Governamental n.08 estabelece a reforma estrutural da FCEA, que define os cinco cursos oferecidos pela Faculdade. Eram eles: Ciências Econômicas, Ciências Contábeis, Ciências Atuariais, Administração Pública e Administração de Empresas.  A Portaria possibilitou também a adaptação da estrutura do curso de Economia da FEA ao currículo mínimo federal, além da redução do ciclo básico de formação propedêutica para a 1ª série, de modo que a escolha da profissão deslocou-se para a 2ª série. A Congregação extinguiu ainda o regime de matriculas por disciplina, dispensando a fixação de sua sequência lógica.
1964

Primeira turma de administração se forma

Primeira turma de administração se forma. Susan Leonhardt Ribeiro foi a primeira mulher a graduar-se em Administração de Empresas.

1964

Iniciam-se as atividades no IPE

Iniciam-se as atividades no IPE (Instituto de Pesquisas Econômicas), em desenvolvimento desde 1962 como um centro complementar no campo de economia. Seu objetivo fundamental é promover o desenvolvimento de pesquisas na economia paulista e brasileira.

1964

Bolsas no Exterior

Estudantes da primeira turma de Economia a graduarem-se recebem bolsas no exterior, principalmente para os Estados Unidos, com a ajuda da Fundação Ford, USAID, CNPq, CAPES e outras instituições.

1964

Invasão do CAVC por grupo de estudantes

No contexto da ditadura militar, um grupo de estudantes mais conservadores da FEA invadiu as dependências do CAVC. e ameaçou repetir o que havia acontecido a nível nacional. A interferência de alguns estudantes e da diretoria da FEA, numa das assembleias mais tumultuadas da vida do CAVC, impediu que isto ocorresse. Chegou-se então a uma solução de comprimisso pela substituição da diretoria eleita por uma de menor representatividade. Tampouco assumiram os maiores adversários da mesma diretoria, sendo colocada à frente do Centro uma diretoria ligada à Juventude Universitária Católica e que exerceu um mandato-tampão até as eleições para a diretoria do período seguinte. Isso permitiu que o CAVC continuasse sua vida e, ao término da gestão mediadora, as eleições fossem novamente ganhas pelos representantes da diretoria deposta.

1963

Convenção Nacional de Faculdades de Economia

A Segunda Convenção Nacional das Faculdades de Ciências Econômicas, reunida em Recife, é posteriormente levado em consideração para a reformulação dos cursos da FCEA no ano seguinte.
1961

Dobram-se as vagas da FCEA

Dobram-se as vagas da FCEA de cem para duzentos, sendo 60% para o período diurno e 40% para o noturno. Embora nos três primeiros anos não se completassem as vagas abertas, o número de ingressantes mantinha-se em patamares elevados, comparativamente aos primeiros anos da década de cinquenta quando aprovavam-se menos de três dezenas de candidatos. Os três primeiros anos da década de sessenta marcam o ingresso de 132, 68 e 105 alunos, respectivamente.

1960

Primeira Reforma Curricular

A primeira reforma curricular é elaborada pela Lei 36.361, visando uma maior consolidação estrutural e expansão das atividades. A reestruturação é baseada no projeto apresentado pela comissão de Monteiro, Antunes e Leme, instituída dois anos antes pelo conselho da Universidade e permitiu a superação da quase totalidade dos problemas identificados durante a crise de 1955/57.
1960

Criação do Departamento de Administração

Criação do Departamento de Administração

1960

Criação da Unidade de Processamento de Dados

A criação da Unidade de Processamento de Dados (UPD) da FEA/USP foi consequencia da necessidade surgida com a reformulação do currículo da entidade, proposta pelo seu Diretor, Prof. Ruy Aguiar da Silva Leme, e que propôs a criação da disciplina. O primeiro professor responsável por ela foi Isu Fang.

1959

Anteprojeto de criação do IPEA

O então Diretor da FCEA, Dr. Ruy Aguiar da Silva Leme, encaminha para apreciação, críticas e sugestões de professores da USP, o anteprojeto de criação de um Instituto de Pesquisas Econômicas, semelhante aos demais Institutos já existentes na USP.
1959

É criada a FUNAD

É criado a FUNAD, fundo de pesquisa do IA.

1958

FCEA passa a conferir título de Doutor

A então FCEA recebeu a prerrogativa de conferir título de Doutor mediante aprovação prévia em duas disciplinas subsidiárias e, em seguida, defesa de tese inédita perante uma banca de cinco professores indicados pela Congregação (Decreto n° 32.207).
1958

Primeira mulher forma em Ciências Contábeis

A primeira mulher a se formar em Ciências Contábeis é Olga Maria Pereira Pinto, quase uma década depois dos primeiros formandos.

1956

Alunos reivindicam mudanças

Alkindar de Toledo Ramos (Presidente do CAVC) e Antonio Delfim Netto (Presidente da Associação de Antigos Alunos da FCEA) enviaram ofício ao Conselho Universitário apresentando “objeção metodológica” e sugerindo modificações na estrutura curricular e no horário da FCEA, a fim de eliminar a “hipertrofia das cadeiras subsidiárias à custa da atrofia das cadeiras fundamentais” e possibilitar a ampliação dos cursos “sobre os quais cabe o peso de iniciar os alunos no mecanismo de funcionamento da Economia”.
1955

Movimento grevista por restruturação

Inicia-se o grande movimento grevista de alunos exigindo, principalmente, a reestruturação educacional. A greve estende-se até 1957 (PINHO, 1988).

“Apesar da dedicação da maioria de seus docentes e de relevantes trabalhos que muitos deles prestavam a empresas privadas e ao Governo, a Faculdade começou a apresentar, desde o início de seu funcionamento , uma série de problemas estruturais que se refletiam, em grande parte, no desinteresse dos alunos pela frequencia às aulas e no elevado índice de abandono dos cursos. Assim é que em 1955, por exemplo, a Faculdade contava apenas com 206 alunos. Nos exames vestibulares desse mesmo ano, dos 121 candidatos inscritos nos exames da 1ª época, somente 24 foram aprovados; dos 54 inscritos para a 2ª época, apenas 30 receberam aprovação. O número de bacharéis formados em 1954 foi insignificante: apenas sete alunos. Essa situação prenunciava a grave crise que eclodiu no fim de 1955.” (História da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo p.45)

1955

Criada a AAAVC

O Departamento de Esportes do CAVC ganha autonomia. Assim, é criada a Associação Atlética Acadêmica Visconde de Cairu (AAAVC), com o objetivo de representar a faculdade em torneios universitários. O AAAVC ainda mantém estreitos laços, inclusive financeiros, com o CAVC.

1954

Criação da ADIFEA

Nomeada originalmente Associação de Antigos Alunos, depois Associação Alumni, e por fim Associação de Graduados da FEA (ADIFEA), surge a fim de estabelecer um link entre a FEA e seus graduados.

1954

Alice Piffer é a primeira mulher diretora

A Professora Dra. Alice Piffer Canabrava é a primeira mulher a assumir a diretoria da FEA, indicada pelo Conselho Universitário.

1951

Alice Piffer vira catedrática por concurso

Alice Piffer Canabrava, licensiada em Geografia e História pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, já havia conquistado, na mesma entidade, os títulos de Doutor e Livre Docente. Neste ano, torna-se a primeira catedrática da FEA, por concurso. Nela aposentou-se em 1982, tendo colaborado ativamente, quer nas fases de implantação, consolidação e projeção da FEA como importante centro de ensino e pesquisa.

1950

Primeiras mulheres a se formarem pela FCEA

Lucy Doris Lefeire e Lydia Rezemini são as primeiras mulheres a conquistar o título de Economista na FCEA, pela segunda turma de formandos.

1950

Início dos cursos noturnos

A Faculdade passa a ministrar cursos noturnos “com efeitos legais”, ou seja, de acordo com as disposições de seu Regulamento e Regimento Interno.

1950

Greve na FEA evita o fechamento da faculdade

Em 1950 a Faculdade tinha em seu quadro discente um número reduzido de alunos e foi assim julgada deficiente porque atendia a uma parcela ínfima da comunidade universitária. A proposta de encerramento das atividades pelo então governador Adhemar de Barros foi respondida pelos alunos com a deflagração de uma greve geral e a Faculdade não foi fechada.

1949

Formatura da primeira turma da FCEA

Formatura da primeira turma da FCEA. Dos 16 ingressantes, 10 concluiram em 49. Aos poucos, os alumni começam a assumir, por mérito, as tarefas de ensinar, pesquisar e administrar a FEA.

1947

Biblioteca do IA

A Biblioteca do Instituto de Administração instalada no prédio n°228, da rua Dr. Vila Nova, passou imediatamente a servir aos professores, alunos, pesquisadores e funcionários da recém-instalada Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas, uma vez que as bibliotecas departamentais ainda eram deficientes e que a Biblioteca da Faculdade começou a ser organizada alguns anos depois. Nessa época atendia também aos professores e alunos de diversos Departamentos da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP, da Universidade Mackenzie, do Colégio Sion, etc...
1947

Levantamento Econômico-Financeiro

Através do Decreto 17.425, o Governo do Estado incubiu a FCEA de realizar o Levantamento Econômico-Financeiro do Estado de São Paulo. Participaram do trabalho os professores Mário Wagner Vieira da Cunha, Dorival Teixeira Vieira, José Ignácio Benevides de Rezende, Clodomiro Furquim de Almeida, Francisco D’Áuria, Luiz de Freitas Bueno e Geraldo Campos Moreira. Até hoje a FEA assessora a Reitoria USP em assuntos econômicos, financeiros e administrativos.
1947

Mudança de Regulamento

O Decreto-Lei n°17.344 modifica disposições do Regulamento da Faculdade e dá outras providências.
1947

Primeira sede do CAVC

CAVC obtem sua primeira sede, nos porões da Faculdade de Arquitetura, localizada então na Avenida Higienópolis.

1947

Greve geral de alunos da USP

No primeiro semestre de 1947, estourou uma greve de todos os alunos da Universidade de São Paulo, com a participação do CAVC, e que teve por objetivo evitar a efetivação dos professores que não tinham realizado seu concurso de ingresso. O movimento prosseguiu para somente em 1949 e, através de outras campanhas, resultar na abertura do primeiro concurso de títulos e provas da FEAUSP para o provimento de suas cátedras, astravés do qual foi escolhida, em 1950, a Professora Alice Piffer Canabrava, primeiro catedrático da Faculdade. Com isto estaria se interrompendo a praxe da “nomeação” dos professores e garantindo o aprimoramento do corpo docente.

1946

Fundação do CAVC

O CAVC (Centro Acadêmico Visconde de Cairu) é fundado como o corpo representativo dos alunos na faculdade. Seus diretores assumiriam nos anos seguintes importantes posições na defesa de ideais, valores e fins, confrontando vários problemas como o aprimoramento dos padrões educacionais (46/57 e durante os anos 60), liberdade intelectual, maior representação estudantil nos órgãos colegiados, ampliação de alojamentos estudantis no campus e melhoria dos restaurantes. Seu Departamento de Esportes, que mais tarde daria origem à Associação Atlética Acadêmica Visconde de Cairu (AAAVC), já tinha administração independente.
1946

Transferência da Biblioteca

Após a extinção do Departamento do Serviço Público, houve a primeira transferência da Biblioteca, determinada pelo Decreto-Lei n°15.668.
1946

Criação da FCEA

Nasce a Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas (FCEA), mais tarde FEAUSP, com o Decreto-Lei n.15.601 do Interventor Federal em São Paulo, José Carlos de Macedo Soares. A faculdade foi a primeira dedicada especialmente ao ensino e pesquisa das ciências econômicas, administrativas e contábeis. Nesta época, a cidade de São Paulo passava por grandes transformações, resultantes da industrialização. Assim, o objetivo inicial da faculdade era suprir as necessidades de ensino e pesquisa nas áreas econômicas. A FCEA começou na Rua Dr. Vila Nova, esquina com a Rua Maria Antônia, onde localizava-se a FFLC. Ali, concentrava-se a efervescente intelectualidade paulistana. Junto com a FCEA, é criado o Instituto de Administração (IA). Em 1960 esta área iria tornar-se um departamento especial, que manteria o IA como um anexo.
1946

Conselho Nacional de Economia

A constituição de 46 cria o Conselho Nacional de Economia, órgão consultivo e deliberativo, ao qual se atribuía a tarefa de “estudar a vida econômica do país e sugerir ao poder competente as medidas que considerar necessárias”.

1945

Padrões Oficiais

A legislação federal estabelece os padrões oficiais para os cursos de Economia, Administração de Negócios, Contabilidade e Ciências Atuárias, com o Projeto de Decreto-Lei n° 7.988
1944

Empréstimos de livros

Através da Portaria n°72, o Diretor Geral do Departamento do Serviço Público baixou as normas para a execução dos serviços de consulta e empréstimos de livros da Biblioteca do D.S.P.
1944

Congresso Brasileiro de Indústria

Em São Paulo, mais um congresso reforça a necessidade da criação de um curso voltado para a área econômica: o Congresso Brasileiro de Indústria. O congresso chamou a atenção para a carência de engenheiros e técnicos indispensáveis à indústria. Sua contituição efetiva fazia-se necessária, seja quanto ao conhecimento dos processos tecnológicos e recursos materiais e humanos, seja quanto ao âmbito de problemas de mercado. Nesta ordem de ideias, recomendava-se especialmente a multiplicação de institutos tecnológicos e a formação de pesquisadores e economistas, prevendo também a especialização no exterior.

1943

I Congresso Brasileiro de Economia

O I Congresso Brasileiro de Economia acontece no Rio de Janeiro, “insistindo na necessidade de apoio e intensificação da industrialização no Brasil, do desenvolvimento de pesquisas econômicas e da criação de centros de estudos e de formação de pesquisadores e de economistas”. O Congresso mostrou as exigências em relação a iniciativas para desenvolver a pesquisa científica em assuntos econômicos, além de proporcionar informações e análises fundamentais para se compreender as transformações em curso na sociedade brasileira. (História da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo p.17)

1943

Profissão de Economista é reconhecida na CLT

A profissão de economista é legalmente reconhecida e incorporada na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT, 1943)

1943

Primeira mudança do acervo da Biblioteca

Sendo insuficiente o espaço destinado à Biblioteca do Departamento do Serviço Público, que deu origem a da FCEA, foi efetuada a primeira mudança do acervo para o Largo São Francisco, n°181, onde passou a ocupar seis salas do 2° andar.

1942

Origem da Biblioteca

Pelo Decreto n° 12.521, foi criado o Departamento do Serviço Público, conhecido como D.S.P.. A Biblioteca da Faculdade de Economia e Administração teve sua origem na Biblioteca daquele Departamento, criada em maio do mesmo ano, com a finalidade de atender a seus servidores. Foi instalada em um prédio, posteriormente demolido, em frente ao Palácio dos Campos Elísios, antiga sede do governo estadual.
1941

Surge a União Econômica do Rio de Janeiro

Surge a União Econômica do Rio de Janeiro, que três anos mais tarde iria desenvolver a Comissão de Economistas Profissionais.

1934

Criação da USP

A Universidade de São Paulo é criada pelo decreto n.6.203.
1808

O professor Visconde de Cairu

Inaugura-se o ensino de Economia Política no Brasil, com o decreto do Príncipe Regente, futuro D.João VI, ao estabelecer, na cidade do Rio de Janeiro, a primeira Cadeira e Aula Pública dedicada ao assunto, no mesmo ano em que se abriam as portas ao comércio internacional. No ato oficial designava-se José da Silva Lisboa como seu professor, o futuro Visconde de Cairu, o autor dos Princípios de Economia Política (Lisboa, 1904). (História da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo pg.23)